PASTORAIS

O QUE É O DÍZIMO?

Deus é o dono e o Senhor de tudo o que existe, pois é o criador de tudo e o Dízimo é uma forma de devolver a Deus uma parte daquilo que recebemos. É um compromisso de gratidão e, por isso, deve ser ofertado dessa forma, pois todo cristão precisa ser conscientizado de que a intenção de dar o Dízimo é mais importante do que a quantidade em espécie. Sob este aspecto não se pode confundir Dízimo com esmola, troca de favores, pagamentos ou resto que nos sobra.

O QUE É A PASTORAL DO DÍZIMO?

É um trabalho em nível paroquial que visa a conscientizar e esclarecer os católicos sobre a importância da contribuição com o Dízimo. Além de conscientizar, a Pastoral do Dízimo estará atenta à necessidade do fiel, dando um encaminhamento às necessidades espirituais e materiais do mesmo.

QUEM COMPÕE A PASTORAL DO DÍZIMO?

 A Pastoral do Dízimo é composta pelo pároco, responsável primeiro pelo andamento da paróquia. Além do pároco, a pastoral possui um coordenador ou coordenadora em nível paroquial e outro em nível de comunidade. A pastoral é composta também pelos agentes do Dízimo que assumem também o trabalho de receber os dízimos dos féis.

Pastoral da 3º idade

A Pastoral da Pessoa Idosa (PPI) é um Organismo vinculado à CNBB —Conferência Nacional dos Bispos do Brasil— e foi fundada no dia 5 de novembro de 2004. Atua diretamente junto às famílias através de pessoas voluntárias que vivem na própria comunidade, aos quais chamamos de “Líderes comunitários”. Estes fazem voluntariamente visitas domiciliares mensais às pessoas idosas, preferencialmente às mais vulnerabilizadas por sua fragilidade física ou por situações de risco social, independentemente de seu credo religioso ou tendência política. Realizam também atividades nos espaços da Igreja para favorecer a integração entre os participantes.

Descrição do Apostolado da Oração: 

O Apostolado da Oração (AO) é, antes de tudo, fazermo-nos interiormente disponíveis para a missão de Cristo. Esta disponibilidade tem como sua fonte e modelo Jesus Cristo entregue a nós e por nós, que se nos faz presente continuamente na Eucaristia. Receber a Sua vida leva-nos, reconhecidos, a oferecer diariamente a nossa própria vida ao Pai.

O Apostolado da Oração é um caminho espiritual que a Igreja propõe a todos os cristãos para os ajudar a ser amigos e apóstolos de Jesus Ressuscitado na vida diária e despertar neles a capacidade missionária. Leva-os a uma aliança de amor pessoal com Ele, simbolizada no seu Coração.

O Apostolado da Oração é uma rede mundial de oração a serviço dos desafios da humanidade e da missão da Igreja, expressos nas intenções mensais de oração do Papa. Rezar por estas intenções abre-nos os olhos e o coração à dimensão do mundo, fazendo nossas as alegrias e esperanças, as dores e os sofrimentos de todos os nossos irmãos e irmãs.

Como se põe em prática o caminho do Apostolado da Oração?

Por meio de:

1- Três atitudes diárias:

O ritmo diário de oração tem pelo menos três momentos específicos. Para vivê-los, a pessoa vai escolher a modalidade que lhe inspire maior gosto espiritual e lhe ajude a estar mais disponível ao Senhor Ressuscitado. Pode-se recorrer a uma imagem de Jesus ou um crucifixo, pode ser num lugar especial em sua casa, pode ser recitando uma oração sugerida, pode ser usando meios digitais etc.

– Com Jesus pela manhã: Ao iniciar o dia, num momento de silêncio, faço-me presente diante de Jesus Ressuscitado que está comigo. Peço ao Pai que me faça disponível à missão do Seu Filho para este novo dia, oferecendo o que sou e o que tenho. Posso expressar este oferecimento usando palavras minhas ou recorrendo a uma oração de oferecimento escrita. Peço ao Espírito Santo que abra o meu coração às necessidades e desafios da humanidade e da missão da Igreja, e rezo por eles segundo as intenções do Papa para este mês.

– Com Jesus durante o dia: Em vários momentos ao longo do dia, em caminho ou em repouso, em casa ou no trabalho, tomo consciência de estar na presença do Senhor e renovo-lhe a minha disponibilidade “para trabalhar com ele de dia e vela com Ele de noite” (Exercícios Espirituais de Santo Inácio, 93).

– Com Jesus à noite: No final do dia, num momento de silêncio, peço ao Espírito Santo que me ajude a reconhecer a presença de Jesus comigo durante esse dia, e agradeço. Pergunto-me de que modo fui disponível à sua missão e agradeço. Vejo como fui obstáculo à sua ação na minha vida e peço-Lhe que, na sua misericórdia, transforme o meu coração. Peço-Lhe ajuda para viver outro dia unido a Ele. Jesus dá-me a sua bênção.

2- Participar na rede do AO

E vive tudo isto apoiado nas práticas que são fundamentais em toda a vida cristã:

– A Eucaristia, que conduz à experiência interna do Coração de Jesus e o dispõe a viver com Ele e ao seu estilo, a serviço da sua missão. A entrega de Jesus pela humanidade que se faz realidade em cada Eucaristia é, para o AO, o modelo de oferecimento e disponibilidade.

– O amor e a devoção a Maria, modelo de disponibilidade apostólica, cujo coração está repleto de Jesus e dos Seus projetos.

– Participação num grupo de vida, em união com outras pessoas que vivem o AO.

– A formação contínua, que dá conteúdo à experiência profunda de comunhão com Jesus e o ajuda a crescer como apóstolo. Deveria incluir formação em temas relacionados diretamente com a sua vivência do AO (Coração de Jesus, a oração de intercessão, identidade e história do AO, etc.) e em matérias de outras áreas que alimentam a sua fé como cristão (Bíblia, teologia, vida espiritual, sacramentos, etc.).

O Apostolado da Oração está presente há 65 anos na paróquia e foi instituído por Antonieta Nigro e pelo Servo de Deus, o Pe. Vitor Coelho de Almeida. Esse Apostolado, em todas as Primeiras Sextas-Feiras do Mês,  participa das missas das 08h00 na Paróquia e em seguida da Reunião Mensal.  Dedica-se, também  em confeccionar enxovais de bebês para mães carentes, arrecadação de alimentos, roupas e remédios para os necessitados e principalmente dedica-se as  orações pelo bem da Igreja.