História

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro teve sua pedra fundamental lançada no dia 04 de maio de 1952, pelos Missionários Redentoristas que administram até os dias atuais a igreja.

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no Jardim Paulistano, em São Paulo (SP), abriga uma das obras mais belas e expressivas da arte contemporânea da capital: um significativo afresco que revela faces conhecidas da sociedade da época ao lado de padres, bispos e santos.

Concebido em função da devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como medianeira e fonte inesgotável de auxílio e socorro, o afresco foi inaugurado em 13 de setembro de 1964. 

A obra é de autoria do famoso pintor romeno naturalizado brasileiro Samson Flexor (1907 – 1971), um dos pioneiros da arte abstrata no país, e levou seis anos para ser finalizada.

O conjunto das pinturas murais da igreja mede cerca de 300 metros quadrados e contém 196 personagens, divididos em blocos.

À esquerda está a representação da Igreja Militante que é composta por um grande número de fiéis, devotos ilustres da comunidade paulistana e até mesmo um autorretrato do próprio pintor.

Pela lateral direita, os santos formam a Igreja Triunfante; próximo ao altar, em ambos os lados, observa-se a cena do milagre de Nossa Senhora, ocorrido nas Filipinas; a Igreja Padecente, cujos olhares fixos e esperançosos se dirigem para a abside do presbitério, para a Virgem do Perpétuo Socorro. 

No centro de tudo, o altar-mor, em cuja cúpula reina a representação de Nossa Senhora, ladeada pelos quatro evangelistas, e do outro lado, a imagem de Santo Afonso Maria de Ligório, junto de São Pedro, São José e São João Batista. 

Os tons sóbrios e os olhos expressivos das figuras causam certo impacto a quem entra na Igreja.