Padroeira

Na ilha de Creta havia um quadro da Virgem Maria muito venerado devido aos estupendos milagres que operava. Certo dia, porém, um rico negociante, pensando no bom preço que poderia obter por ele, roubou-o e levou-o para Roma.

Durante a travessia do Mediterrâneo, o navio que transportava a preciosa carga foi atingido por terrível tempestade, que ameaçava submergi-lo. Os tripulantes, sem saber da presença do quadro, recorreram a Virgem Maria. Logo a tormenta amainou, permitindo que a embarcação ancorasse, sendo salva num porto italiano.

Algum tempo depois, o ladrão faleceu e a Santíssima Virgem apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava a pintura em sua casa, avisando que a imagem de Santa Maria do Perpétuo Socorro deveria ser colocada numa igreja.
O milagroso quadro foi então solenemente entronizado na capela de São Mateus, em Roma, no ano de 1499, e aí permaneceu recebendo a homenagem dos fiéis durante três séculos, até que o templo foi criminosamente destruído. Os religiosos se dispersaram e a santa caiu no esquecimento.

Finalmente, em 1866, a milagrosa efígie foi conduzida triunfalmente ao seu atual santuário por ordem do Santo Padre, que recomendou aos filhos de Santo Afonso de Ligório: – “Fazei que todo o mundo conheça o Perpétuo Socorro”.

Assista no vídeo abaixo uma reportagem (TV Canção Nova) sobre a história da devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro:


Devoção à Virgem Maria

A devoção do Povo de Deus a Maria está inspirada no seu próprio mistério de “rosto materno de Deus” como Filha bem amada de Deus Pai, Mãe do Redentor, comunhão com Cristo (maternal, humana, teologal, realizada pela ação do Espírito Santo); e no seu ministério maternal para com os homens, segundo o plano de Deus.

Para sermos cristãos, precisamos ser também “marianos”, porque Cristo foi-nos dado pelos braços de Maria, pelo seu ministério maternal que nos conduz a Ele pelo caminho do EXEMPLO e da INTERCESSÃO. Porque Maria é a “figura” mais perfeita de semelhança com Cristo e colabora na educação da vida divina dos redimidos e da atitude espiritual dos adoradores do Pai “em espírito e verdade”.

Maria, como nossa Mãe, é um dom de Cristo. Possui uma relação maternal conosco: a relação única e irrepetível da mãe com o filho e do filho com a mãe. A verdadeira devoção está na resposta-entrega ao amor da Mãe de Cristo e nossa Mãe. Sem cair na “mariolatria”, as devoções da piedade popular devem estar informadas pelo sentido da verdadeira devoção e subordinadas à piedade litúrgica. As “devoções” nasceram da devoção a Maria no decorrer da História; condicionadas, porém, pelos acontecimentos, pela cultura e piedade. As formas de piedade que não estejam adaptadas às exigências e sensibilidades do homem atual devem ser submetidas a um exame e revisão – disse Paulo VI.

Qualidades da devoção à Virgem Maria:
a) VENERAÇÃO – culto pelas maravilhas que Deus nela realizou
b) INVOCAÇÃO – pedindo o seu auxílio e proteção
c) AMOR – filial
d) IDENTIFICAÇÃO – espiritual
e) IMITAÇÃO – das suas atitudes: Ouvinte da Palavra, Obediente na Fé, Orante, Fiel e Disponível, Consagrada.


Como rezar o Santo Terço

1. Faça o Sinal da Cruz e reze o Credo.
2. Diga o “Pai-Nosso”.
3. Diga Três “Ave Marias”.
4. Diga o “Glória ao Pai”.
5. Anuncie o Primeiro Mistério; diga, então o “Pai Nosso”.
6. Diga dez “Ave Marias”, enquanto medita sobre o mistério.
7. Diga o “Glória ao Pai”.
8. Depois de cada década reze a seguinte oração pedida pela Virgem Maria em Fátima: “O Meu Jesus, perdoai-nos os nossos pecados, livrai-nos do fogo o inferno, levai as almas todas para o Céu e socorrei, principalmente as que mais precisarem da tua misericórdia”.
9. Anuncie o Segundo Mistério: diga, então, o Pai Nosso. Repita seis, sete e oito e continue com o Terceiro, Quarto e Quinto Mistérios da mesma maneira.
10. Diga a “Salve Rainha” depois que terminar as cinco décadas.
11. Geralmente, os Mistérios Gozosos são recitados nas segundas e quintas-feiras; os Mistérios Dolorosos nas terças e sextas-feiras e, os Mistérios Gloriosos nas quartas e sábados. Dependendo do Tempo cada Mistério pode ser recomendado aos Domingos.

Nota: Quando o Terço do Rosário é recitado em voz alta por duas ou mais pessoas, uma pessoa lidera. Ele diz a primeira parte da oração (até os itálicos). Todos os outros respondem o restante da oração. “O Meu Jesus e a Salve Rainha” são recitados por todos juntamente.

Orações durante o Terço:

O SINAL DA CRUZ
Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

O CREDO
Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, Seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, porto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, donde há de vir a juigar os vivos e os mortos. *Creio no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressureição da carne, na vida eterna. Amém.

PAI-NOSSO
Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no céu; *o pão nosso de cada dia nos dai hojé; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

AVE-MARIA
Ave Marie, chela de graçia, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. *Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

GLÓRIA
Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. *Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém.

SALVE-RAINHA
Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, Salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Ela, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria.