Assembleia dos bispos encerra com saldo excelente, diz presidente da CNBB

25 de setembro de 2013 Categorias: Destaques

A 51ª Assembleia Geral dos Bispos chegou ao fim nesta sexta-feira (19) em Aparecida (SP). Ao longo de dez dias mais de 400 participantes, entre bispos, padres, religiosos, leigos e assessores discutiram o tema central ‘Comunidade de comunidades: uma nova paróquia’ e analisaram temas de relevância pastoral da Igreja do Brasil, e outros de interesse da nação, como a Reforma Agrária, a questão da demarcação de terras indígenas e de quilombolas e a Jornada Mundial da Juventude.

O presidente da CNBB avaliou que a 51ª Assembleia Geral foi uma ocasião de profunda experiência eclesial.“Estivemos reunidos para rezar, refletir e promover o aprofundamento de nossa comunhão. O resultado desse nosso empenho foi o melhor possível. Encerramos o encontro com um saldo excelente”, ponderou na coletiva de imprensa, último momento oficial da assembleia.

Pela manhã o episcopado brasileiro participou da Celebração Eucarística de encerramento no Santuário Nacional às 7h30. A missa foi presidida pelo Cardeal Arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno Assis e concelebrada pelo Arcebispo de São Luís (MA) e vice-presidente da CNBB, dom José Belisário da Silva e pelo bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner.Durante a celebração, foram introduzidos os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), a Cruz dos Jovens e o ícone de Nossa Senhora até o Altar Central.

Com o fim da celebração, os bispos, em procissão, seguiram pelo estacionamento do Santuário Nacional com os símbolos. Um momento de grande emoção, quando os bispos se revezaram e carregaram a Cruz e o Ícone que peregrinaram por todo o país desde 2011. Com devoção e cantos, os símbolos chegaram ao Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida para a cerimônia de encerramento da assembleia.

Na cerimônia, dom Damasceno agradeceu a participação, empenho e dedicação de todos os bispos e envolvidos na preparação e condução da assembleia, a administração do Santuário Nacional pela acolhida e organização do local do evento,  aos veículos de comunicação que cobriram o evento e a tantos outros presentes na assembleia.

O presidente falou sobre os encaminhamentos do tema central e outros temas, bem como os documentos que seguem para análise e posterior divulgação.”Caros irmãos do ministério, estamos retornando para nossas casas, dioceses e prelazias. Agradeço a cada um a participação na assembleia e a colaboração nos trabalhos, a oração, a convivência fraterna, os temas que estudamos e a respeito dos quais dialogamos, os documentos que remetemos para a próxima Assembleia Geral ou para o Conselho Permanente. São alguns dos frutos, dos numerosos frutos de nosso trabalho, que muito nos enriqueceram no afeto colegial e na comunhão eclesial”.

Última coletiva de imprensa – Na última coletiva de imprensa realizada após o encerramento da 51ª Assembleia Geral dos Bispos na manhã desta sexta-feira (19), os bispos fizeram um balanço sobre as atividades desenvolvidas ao longo do encontro anual. A coletiva contou com a presença da presidência da CNBB, o presidente da entidade, o arcebispo de Aparecida (SP), Cardeal dom Raymundo Damasceno, dom José Belisário da Silva, vice-presidente e arcebispo de São Luís (MA) e dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário geral e bispo auxiliar de Brasília.O presidente da CNBB avaliou que a 51ª Assembleia Geral foi uma ocasião de profunda experiência eclesial. “Estivemos reunidos para rezar, refletir e promover o aprofundamento de nossa comunhão. O resultado desse nosso empenho foi o melhor possível. Encerramos o encontro com um saldo excelente”, ponderou.

Durante a coletiva foi feito um balanço das atividades realizadas. Sobre o tema central da Assembleia 2013: “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”, dom Damasceno disse que “já era previsto que seria aprofundado na assembleia desse ano e continuaria sendo levado para as dioceses para novos estudos e somente na assembleia do próximo ano que será apresentado para a aprovação final”. O cardeal explicou que o tema central se situa na busca por uma maior “conversão pastoral” e apontou algumas reflexões sobre o estudo como a cultura dos tempos atuais, o desafio e a necessidade de considerar a mudança de época e o reconhecimento que o lugar privilegiado para realizar uma experiência concreta com Jesus Cristo é a comunidade eclesial, e por fim, o reconhecimento de que a paróquia é a grande escola da fé, da oração, dos valores e costumes cristãos.

Além do tema central, dois outros assuntos foram destacados na coletiva: o estudo sobre a Questão Agrária e o Diretório para a Comunicação no Brasil. Os dois temas foram amplamente discutidos pelos bispos que decidiram pela continuidade da reflexão antes de se tornarem documentos da CNBB.No final, dom Raymundo Damasceno apresentou outros dois frutos da Assembleia: um subsídio que os bispos estão oferecendo a todas as comunidades sobre o tema das eleições e uma nota que foi emitida em defesa dos direitos indígenas e quilombolas, pela rejeição da PEC 215.